Projetos em Andamento

Descrição: Projeto de pesquisa aprovado pelo edital 04/2016 – Grupos Emergentes de Pesquisa do Rio de Janeiro – FAPERJ (Ref.211/138/2016) e pelo Programa de Incentivo à Produção Científica, Técnica e Artística da UERJ – Prociência (Edital 2017) , que busca examinar o pensamento social sobre a América Latina no Brasil entre as décadas de 1950 e 2010 a partir de uma interpretação processual e longitudinal sobre os percursos da sociologia latino-americana. Seu objetivo principal é construir um mapa e uma interpretação abrangente sobre os estudos latino-americanos no Brasil e sobre a sociologia latino-americana em geral, sensível a sua transformação ao longo do tempo e às conexões transnacionais entre ideias, redes e intelectuais. Para tal fim, parte-se do acumulo coletivo dos pesquisadores do grupo e de uma pesquisa previa, financiada pela FAPERJ, sobre a experiência do CLAPCS no Rio de Janeiro entre 1957 e 1976, ampliando-a, no entanto, no tempo, no espaço e em seu escopo analítico. Ainda que o interesse pela genealogia e pela originalidade do pensamento social latino-americano venha ganhando destaque internacionalmente, pode-se observar que, no Brasil, os estudos latino-americanos não adquiriram a densidade institucional que se observa alhures. Embora em alguns casos com significativa projeção internacional, a pesquisa na área permanece estruturada sobremaneira por investigadores individuais, com seus respectivos orientandos e projetos. Espera-se com esta pesquisa reverter essa lógica atomizada e fortalecer as redes de trabalho, debate e produção acadêmica. Ao fortalecer uma comunidade de pesquisa em estudos latino- americanos, através da presente proposta, pretendemos resgatar e atualizar uma tradição de pensamento social latino-americano no Brasil, de forma a pensar sobre os desafios sociais contemporâneos em uma chave mais ampla, regional e cosmopolita.

Coordenador: Breno Bringel

Financiamento: FAPERJ

Descrição: A presente pesquisa, vinculada a bolsa Jovem Cientista do Nosso Estado da FAPERJ (2017-2020) e a Bolsa de Produtividade do CNPq (2017-2020) busca gerar uma interpretação teórica sobre a dinâmica de contestação política e os campos de ação em confronto no Brasil contemporâneo. Parte-se da hipótese de que as mobilizações iniciadas em Junho de 2013 marcam, no curto prazo, a emergência de um novo ciclo de protestos que coincide com o fim de um ciclo político mais amplo, de médio/longo prazo, iniciado na redemocratização. A partir de um ângulo de análise que privilegia a sociologia política, pretende-se associar as trajetórias dos movimentos sociais nas últimas décadas com os movimentos societários que implicam alterações de elementos estruturais e deslocamentos subjetivos da sociedade ou de parte dela. Isso implica abrir a agenda de pesquisa sobre movimentos sociais tanto para dinâmicas societárias mais amplas como para atores habitualmente desconsiderados dentro de um campo relacional de confronto. Como consequência, espera-se entender os campos de ação em disputa e extrair um sentido histórico e social de mais amplo fôlego acerca das transformações sociais ora em curso na sociedade brasileira, em cujo contexto modalidades e composições de conflitos, movimentos sociais e contra-movimentos têm lugar.

Coordenador: Breno Bringel

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ – Bolsa / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Bolsa.

Descrição: Projeto de pesquisa interinstitucional (IESP-UERJ, UFES, UFMG, UFG, UFRGS e UFPel) aprovado pelo edital 012/2015 da CAPES (Memórias Brasileiras/Conflitos Sociais) que ambiciona compreender os sentidos e significados dos protestos ocorrentes no Brasil em 2013, de modo a contextualizá-los, empírica e teoreticamente, em um marco de transformações sociais mais amplas no país e em um contexto global de reconfiguração do ativismo e das lutas sociais. O ânimo da investigação é acrescentar à plêiade de trabalhos referentes às manifestações multitudinárias observadas no Brasil em 2013 um enfoque que possibilite o suprimento das seguintes lacunas, até aqui detectadas na produção histórica e científico-social sobre o assunto: i) a devida localização dos atores, das práticas e das gramáticas notadas nas ruas em 2013 diante de processos e transformações sociais de maior amplitude e alcance, de modo a se entender as mobilizações como componentes de conflitos sociais cuja processualidade os precede e os sucede; ii) o entendimento comparativo das distintas dinâmicas associadas aos protestos de 2013 em diferentes localidades, com o objetivo de se entender o que há de geral nas práticas ativistas do Brasil contemporâneo, assim como as demandas, formas organizativas e interações sociais específicas nas cinco localidades a serem pesquisadas, quais sejam, Rio de Janeiro, Vitória, Goiânia, Porto Alegre e Belo Horizonte e; iii) a compreensão dos repertórios, reivindicações e padrões de relação entre Estado, mídia, mercado e ativistas, para além de clivagens como ‘novo’ e ‘velho’, com vistas ao entendimento das relações sincrônicas entre diferentes perspectivas e tradições de processamento dos conflitos sociais no contexto das manifestações de 2013.

Integrantes: Breno Marques Bringel – Coordenador / Cristiana Losekann – Integrante / Ricardo Fabrino Mendonça – Integrante / Francisco Tavares Machado – Integrante / Luciana Ballestrin – Integrante / Marcelo Kunrath Silva – Integrante.

Financiamento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES

ANNELISE MEIER FORSCHUNG PREIS, ALEXANDER VON HUMBOLDT STIFTUNG (ANNELISE MEIER RESEARCH AWARD, ALEXANDER VON HUMBOLDT FOUNDATION), 2018-2023

Description: This research aims at a junction of two strands which are close but which have not always moved really alongside. These are critical theory and political sociology. This includes social and sociological theory as well as a global angle from which the research is developed. Contrary to much of what has stemmed from the tradition of Frankfurtian critical theory, it deals with philosophical issues, foremost within, however, a strongly sociologically-oriented perspective, avoiding also a Eurocentric bias. Genesis, development and reiteration, as well as possible paths to overcome political modernity are at the core of the project.
Together with Wolfgang Knöbl (Hamburger Institut für Sozialforschung) and Sérgio Costa (Lateinamerika Institut, Freie Universität zu Berlin)

Coordinator: José Maurício Domingues

Descrição: Este projeto trata de algumas questões fundamentais da tradição sociológica em termos dos processos de modernização global, em particular em termos da construção de categorias analíticas e do tema dos conceitos-tendência, que foram muito importantes no passado, perdendo espaço nas últimas décadas. Ele trata assim de questões metodológicas da sociologia e das ciências sociais de modo geral de modo a facilitar uma melhor compreensão do que fazemos quando engajados com as diversas possibilidades que a disciplina oferece, em particular como uma maneira de retomar a discussão da modernidade com intenção sistemática. Descrições e conceitos descritivos são distinguidos de categorias analíticas de médio alcance que são distinguidas de categorias analíticas gerais, incluindo-se aí os conceitos-tendência, que implicam o desenvolvimento de certos aspectos da modernidade no longo prazo. O conceito de subjetividade coletiva se faz presente de forma a levar a discussão adiante. O projeto se concentra especificamente na questão da modernidade política, primeiramente buscando seus contornos em seu solo de origem, em parte a própria América de colonização ibérica, mas sobretudo Europa e Estados Unidos, desdobrando-se em termos de uma discussão de cunho efetivamente planetário, que inclui periferia e semiperiferia.

Coordenador: José Maurício Domingues

Descrição: O projeto visa tratar da modernidade política como uma das dimensões da modernidade de um ponto de vista teórico, cruzando a teoria sociológica com a sociologia política, a ciência política e a teoria política, bem como a teoria das relações internacionais e teoria do direito (jurisprudência), de modo a atingir uma visão integrada desta dimensão. Ele começa com uma análise das categorias políticas históricas da modernidade mas desdobra-se para incluir o presente e o planeta como um todo, nos termos da modernidade política global contemporânea. Novas direções da teoria crítica são assim também buscadas. O mundo das abstrações reais do direito, a construção da cidadania e a individuação, o fortalecimento do estado e a construção de uma ordem política global, a relação entre o sistema político societário e o estatal, estabilidade e crise, a relação da política com a natureza, o desenvolvimento dos regimes políticos modernos e a questão contemporânea de uma democracia radical se põem como seus pontos de toque e articulação conceituais principais. Em parte, ao tratar da expansão da modernidade política globalmente, o projeto estabelece um diálogo crítico com as teorias pós- e descoloniais, ademais mobilizando autores de todas as regiões do mundo.

Coordenador: José Maurício Domingues